sexta-feira, agosto 10, 2018

Guilherme Lamounier (1950-2018)

Mesmo com atraso, não posso deixar de registrar uma homenagem a Guilherme Lamounier, falecido no dia 7, aos 67 anos. Não me conformo que as matérias sobre ele o citem como "autor de sucessos de Fábio Jr." Não foi assim que eu conheci o trabalho dele e com certeza ele merecia um reconhecimento maior. 

Em 1973, a Rádio Continental de Porto Alegre tocava em sua programação fixa a música "GB em Alto Relevo", de Guilherme Lamounier, com letra de Tibério Gaspar. Eu com 12 anos, mas já fissurado por música, achava interessante aquela balada cheia de imagens criativas: "Por fora dos limites da GB / estrada e Fenemê / deflorando a imensidão do país". Com certeza foi uma sacada do diretor de programação Marcus Aurélio Wesendonk selecionar essa faixa, pois a canção "de trabalho" era outra, "Será que eu pus um grilo na sua cabeça", que a rádio nunca tocou. Mas saiu em compacto. E no lado B estava a gravação que me conquistaria em definitivo. Ela tocou na Continental numa noite de dezembro de 1973, em que eu estava ouvindo o rádio-relógio de meus pais no quarto deles. Na introdução, o locutor anunciou: "Joia brasileira". Escutei uma verdadeira obra-prima de letra, melodia, interpretação e arranjo. Ao final, como era o padrão da Continental, foi anunciado o intérprete, autores e título da composição: "Guilherme Lamounier, dele e do Tibério Gaspar, Mini Neila" No outro dia, fui correndo procurar o disco. Por sorte, tinha em compacto. Comprei na hora.

Mas, no ano seguinte, alguém da turma conseguiu o LP, todo de parcerias de Guilherme com Tibério. E o disco tocou bastante em nossas inesquecíveis "reuniões dançantes" de 1974. As músicas eram lindas, uma melhor do que a outra. Além das já citadas, eu adorava "Telhados do Mundo" e "Capitão de Papel". Fiquei na expectativa da continuidade da carreira de Guilherme Lamounier. Aí, uma decepção: a nova música do cantor que ouvi na Continental foi a fraquinha "Vai atrás da vida, que ela te espera". Sem Tibério, Guilherme agora compunha letra e música, mas seus versos não chegavam aos pés do antigo parceiro.

Em 1975, voltei a ouvir Guilherme Lamounier nas rádios, agora com o hit "Enrosca". Era outra proposta, um romantismo direto e espontâneo, com bom resultado. Hoje a composição é mais lembrada pela gravação de Fábio Jr., mas o original é muito superior. Em 1978, Guilherme lançaria um LP pela Som Livre e ali estaria outra canção de futuro sucesso para Fábio Jr., "Seu Melhor Amigo". É curioso que as regravações tenham se eternizado enquanto os as versões de Guilherme sejam pouco conhecidas, pois o compositor, admitamos, era melhor e mais vigoroso como intérprete do que Fábio Jr. 

Antes disso tudo, Guilherme Lamounier tinha um LP lançado pela Odeon em 1970, com produção de Carlos Imperial, de forma que sua obra completa se resumiu a três álbuns e alguns compactos. Considerando a maravilha que ele criou em 1973, é uma pena que não tenha se transformado no ídolo que tinha potencial para ser. O LP com Tibério Gaspar nunca foi relançado em CD, mas pode ser encontrado no YouTube. Leiam também o texto de Ricardo Schott sobre o disco no livro "1973, o Ano que Reinventou a MPB".

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home