sábado, julho 21, 2018

Fim de semana

O frio voltou com tudo, ontem, em Porto Alegre, mas antes tivemos calor. Aquele famoso "veranico de inverno" de que só eu e os meteorologistas lembramos. E eu, finalmente recuperado de uma "pneumoniazinha" (conforme a médica que me atendeu no dia 6), aproveitei para dar duas caminhadas na área reaberta da Avenida Beira-Rio durante a semana. Nunca mais vou deixar de tomar a vacina da gripe. Não cheguei a ter falta de ar, propriamente, mas muita tosse e chiado no peito. Foi bastante desagradável.
-*-
Está consumado: não tenho mais meu velho e-mail do Via-RS. Na tarde do dia 17 o webmail ainda funcionava normalmente. À noite, recebi a mensagem: "Usuário ou senha inválida." Eles ofereceram serviço de informação de e-mail novo a quem solicitasse, mas alertaram sobre a questão do spam. Por isso mesmo, não quis. Já alterei meus dados em todos os cadastros que lembrei e informei os amigos. Quando meu colega Edson Campos me convidou para o Gmail em 2004, nunca imaginei que ele viria a se tornar o meu único e-mail. Está funcionando bem. (P.S.: Acabo de ler no site do Via-RS que "a competência de caixa postal do mês de julho/2018 não será cobrada". Dessa forma, o serviço encerra como iniciou para mim em 1996: gratuito no mês corrente.)
-*-
Os fãs de David Bowie ficaram atiçadíssimos porque, nessa semana, foi anunciada a quarta caixa da série que está relançando a obra do músico em vinil e CD. Já se sabia que seria usado o título de uma de suas músicas, como nos três volumes anteriores, mas ficava-se imaginando qual seria. "Loving the Alien" tinha sido o meu primeiro palpite - certeiro, como se vê -, mas depois fiz um "jogo triplo" acrescentando "Shining Star" e "Dancing With the Big Boys". O período abrangido (1983-1987) é considerado o artisticamente mais fraco da carreira de Bowie, mas foi importantíssimo em termos de popularidade. Aqui o cantor lançou sua rede sobre uma nova geração de fãs, lotou estádios, chegou à capa do Time e conquistou as pistas de dança, em especial com "Let's Dance" em 1983. Uma curiosidade é que o álbum Never Let Me Down de 1987, tido como o pior de todos, teve sua base inteiramente regravada com novos músicos (mas o original também está na caixa). Eu acho que uma boa remixagem já teria sido suficiente, mas vamos esperar para ouvir. O lançamento será no dia 12 de outubro (presente de Dia da Criança para os fãs brasileiros), mas a nova versão de "Zeroes" já pode ser adquirida nas plataformas digitais. Detalhes aqui.
-*-
Não sei como anda o mercado de audiobooks no Brasil, mas tive a grata surpresa de encontrar "Saga Brasileira, a Luta de um Povo por sua Moeda", de Miriam Leitão, à venda no site americano Audible. As 17 horas de narração foram encaradas por Cláudia Jones. É a história de como o Brasil finalmente conseguiu superar a hiperinflação, depois de fracassados planos econômicos. Terminei de ouvir nessa semana. Agora estou escutando "Never Stop Walking", de Christina Rickardsson, a moça que passou a infância em caverna e favelas brasileiras até ser adotada por uma família da Suécia. O texto original foi escrito em sueco, mas estou ouvindo uma tradução para o inglês.
-*-
Bom fim de semana a todos.

1 Comments:

Blogger José Elesbán said...

Eu também lembro dos veranicos de inverno... ;)

6:20 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home