sexta-feira, fevereiro 27, 2015

O vestido mágico

Sei que este assunto está saturado nas redes sociais, mas decidi comentá-lo porque fiquei realmente impressionado com o que vi. Desde a infância sou fascinado por ilusões de ótica e efeitos visuais em geral. Virei fã dos estereogramas quando surgiram nos anos 90, aqueles padrões gráficos repetitivos que revelavam desenhos em 3D quando vistos bem de perto. Mas, em 54 anos de visualização de imagens curiosas, eu nunca tinha observado algo assim.

Hoje pela manhã, minha sobrinha compartilhou a imagem acima no Facebook. Ela perguntava: "Que cor é este vestido?" Não entendi bem o objetivo da proposição. Logo vi que era preto e azul. E daí? Nada de mais. Mas pouco tempo depois, me deparei novamente com a foto e ela tinha mudado de cor! As listras estavam brancas e douradas! Mas como? Será que ela postou uma variação? Mas comecei a notar, pelos comentários, que a foto era a mesma.

Seria, talvez, uma instabilidade causada nas cores do monitor? Para ter certeza, enviei a foto por e-mail para vê-la novamente no computador do meu trabalho. Abri e ela continuou aparecendo branca e dourada. Minimizei a janela e comecei minhas atividades. No meio da tarde, acabei vendo de novo o vestido e ele tinha voltado a ser azul e preto! Será possível? Chamei meus colegas. Cada um viu uma cor diferente. No dia a dia, é comum ficarmos em dúvida se uma meia é preta ou cinza, se uma calça de brim é preta ou azul bem escuro, principalmente sob pouca iluminação. Mas como matizes tão díspares podem provocar essa confusão em nossa retina? Imaginem o uniforme do Grêmio aparecendo em dourado e branco!

Com um pequeno artifício, consegui fazer a cor "mudar" em tempo real diante de meus olhos. Mas nem sempre funciona. Deixando apenas uma fresta inferior da imagem aparecendo na tela, eu vi preto e azul. Entrando a imagem toda, imediatamente tornou-se branca e dourada. Então confirmei o efeito. 

Minha mãe tinha uma hipótese a que ela chamava de "teoria": de que é possível que nem todas as pessoas enxerguem as mesmas cores. Jamais teremos como saber, pois todos aprendemos a chamá-las pelos mesmos nomes. O vermelho que eu enxergo pode não ser o mesmo que você vê. Já os daltônicos não distinguem certas cores, o que é um fenômeno diferente.

Procurem nos sites a explicação para esse mistério. Eu me pergunto se o vestido causa o mesmo efeito se visto diretamente. Se outras fotos do mesmo vestido obterão o mesmo resultado. Por fim, não tenho impressora a cores para confirmar se a ilusão acontecerá também no papel (testem e depois me digam). A propósito, as cores certas são azul e preto. Se alguém disser para a dama que o veste: "Bonito seu vestido branco e dourado!" Ela terá carradas de razão em responder: "São seus olhos!"

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home