sábado, novembro 01, 2014

David Bowie no Brasil em 1997

Eu poderia esperar mais três anos e registrar um "aniversário redondo" do fato, mas já que Bowie voltou à mídia com música nova e coletânea, vai nos 17 anos, mesmo. Ontem, hoje e amanhã são os aniversários dos últimos shows que David Bowie fez no Brasil, em 1997, respectivamente em Curitiba, São Paulo e Rio. Eu assisti aos três, mas fui com credencial somente para a capital paranaense, na Pedreira Paulo Leminski, cobrindo para o International Magazine.
A apresentação em Curitiba e São Paulo fazia parte do evento Close Up Planet, com participação de Erasure e No Doubt na abertura. Em Curitiba teve Rita Lee e, em São Paulo, Paralamas do Sucesso. E outras bandas no palco secundário.
Aqui o adesivo que autorizava acesso à frente do palco nas primeiras músicas para tirar fotos.
O set list que nos foi distribuído antes do show. Bowie também cantou "The Man Who Sold The World", que não aparece nessa relação.
As fotos ficaram apenas razoáveis, mas pelo menos saíram. Minha Zenit nunca foi muito confiável.







O bilhete da Varig. Sabem quem mais estava no voo de Curitiba para São Paulo? David Bowie e toda a sua banda! E também o Erasure, que embarcou logo atrás de mim. Os dois integrantes ficaram assobiando "Strangers in the Night" enquanto aguardavam acesso à aeronave. Já contei aqui, acho até que mais de uma vez, que não falei com Bowie. Viajei ao lado do relações públicas dele, Alan Edwards, mas deixei para perguntar sobre a possibilidade de pedir autógrafo quando o avião já estava descendo. Paciência.
De qualquer forma, ele me deu o nome dele num pedaço de papel, caso eu precisasse. Eu o localizei no hotel do Rio e perguntei se dessa vez ele não poderia me ajudar a conseguir o autógrafo de David Bowie. Ele estava de saída, mas me informou o número do quarto dele e me disse que passasse o encarte do CD por baixo da porta. Junto com ele estava o tecladista Mike Garson. Falei rapidamente com ele. Perguntei se ele ainda era Cientologista e ele me respondeu que tinha deixado de ser havia 12 anos.
Depois do show no Rio, consegui que um segurança da equipe de David fosse chamar Alan Edwards. E ele apareceu com meu encarte do CD devidamente assinado! Missão cumprida! Não falei com David, mas o sonhado autógrafo chegou às minhas mãos. Caso estejam em dúvida, se essa assinatura não é legítima, é uma falsificação muito bem feita. Ah, sim: também deixei para Alan entregar a Bowie um exemplar do International Magazine de 1987 com uma matéria de capa escrita por mim sobre os 50 anos do cantor. Ele me contou que Bowie olhou para a capa (do tempo do Live Aid em 1985, de perfil) e disse para sua esposa Iman: "Olhe para este cabelo, não acredito que você casou comigo com um cabelo assim!" Nos despedimos amistosamente e Alan me disse que eu poderia procurá-lo se fosse novamente a um show de Bowie.
Depois, é claro, saiu a matéria no International Magazine. A foto de Gwen Stefani também foi tirada por mim.
Vocês devem supor que eu tenho essas imagens todas guardadas no computador ou num CD-R. Mas em 1997 eu ainda usava meu primeiro computador, um IBM Aptiva, e talvez as fotos estejam em alguma pasta do HD. Ou em algum disquete perdido, que meu PC atual nem lê. Achei mais fácil pegar os arquivos do CD abaixo:
Este álbum duplo raríssimo foi distribuído exclusivamente aos sócios da BowieNet, um site particular dos fãs de Bowie criado em 1998 e desativado no começo de 2012. Além de remixes e gravações ao vivo da turnê (incluindo uma do Rio, em que dá pra ouvir um sujeito que estava bem perto de mim gritando a plenos pulmões "I'm Derang-ed", mas não teve o pedido atendido), o pacote inclui material enviado pelos fãs: textos no encarte e imagens no CD dois. Então procurei a pasta respectiva no disco e copiei todos os arquivos jpg cujos nomes começavam com "emilio". E assim resgatei as fotos que tinha enviado por disquete para o representante da BowieNet. Naquele tempo, com acesso por linha discada e sem gravador de CD, eu não tinha outra opção.

Aqui está a página com minha contribuição. Vocês podem imaginar como me senti de ter um texto meu - e o meu nome, claro - num CD de David Bowie. Mesmo sendo um item raro que não foi colocado à venda. O International Magazine, de saudosa memória, entrou de carona também. Boas lembranças. Eu tinha 36 anos. Parece que foi anteontem. 

Leiam também:

David Bowie no Olympia (SP) em 1990 
Relíquias de David Bowie 
A exposição de David Bowie (São Paulo, 2014) 

9 Comments:

Blogger zealfredo said...

Pois é. Tu tinhas 36 anos e parece que foi ontem... E foi mesmo!
Abraço.

8:04 PM  
Anonymous Carlos said...

Sensacional Emilio, nostalgia pura aqui , eu estava lá e foi uma experiência incrível, obrigado por postar e dividir conosco, abração!

10:43 PM  
Blogger Fernando said...

Olá Emilio. Sou de Montenegro-RS e estive neste show de Curitiba também. Estava na primeira fila. Otima recordação ler tua materia. Estive olhando minhas fotos e tem um fotografo de barba,camiseta branca e com uma grande bolsa preta. Quem sabe não era tu. Abraço - Fernando Bondan

10:46 PM  
Blogger Emilio Pacheco said...

Não lembro se minha barba já era branca nessa época. Lembro de outro fotógrafo também com barba. Eu estava com uma bolsa de fotógrafo, mas acho que era cinza. Poderia me mandar essa foto? Manda para emiliopa@gmail.com

Abração!

2:27 AM  
Blogger ricardo gammal said...

Eu fui , estava de pista na cara do palco mas eu so tinha 17 anos, lembro mais do No Doubt, foi demais! Estava lá no Ibirapuera em São paulo.

11:47 PM  
Blogger Unknown said...

Ahhh Emílio... você acabou de me deixar mais feliz, justo hoje, dia da morte do David Bowie. Eu estava nesse show em Curitiba, mas não tinha nenhum registro da época. Fase difícil, faculdade de Farmácia na UFPR, zero de dinheiro no bolso. Tinha 23 anos. Resgatar as fotos de um Bowie pra lá de lindo nessa roupa verde e dourada que só estavam na minha memória foi demais!!!

1:47 PM  
Blogger luciana lopes sá cândido marculino said...

Obrigada!! Seu post aquece meu coração, um tanto partido... também estava no ibira, com 21 anos, tão somente pra assistir Mr. Bowie
: Always. From now on, just in Haven! Gratidão Emílio!

9:35 PM  
Blogger Marta said...

Ah muito legal vc compartilhar essas experiências!! Nossa, se ele tivesse no meu voo eu ia ter que falar com ele. Não ligo pra autografo, mas uma foto seria demais hein... Sempre foi meu sonho ��

3:37 PM  
Blogger Adriana Oquendo Duran Moreira said...

Sabe eu fui nesse show em SP e infelizmente como na época não se tinha aqueeeela cobertura , não encontrei até hoje vídeos do show.Minha maior tristeza é q neste show eu estava na frente encostada na grade com minha irmã e apesar de por um instante ter ficado triste pq colocaram uma passarela bem na nossa frente tampando totalmente o show do Bowie, logo veio a compensação...o canto se debruçou em certo momento na Beira dessa passarela e deu um tapa na minha mao...todos viram ao redor ...menos eu q em choque nem olhei pra ele só tentava alcançar sua mão kkkk...se souber de alguma imagem desde show por favor poderia me avisar? Vlw
Adriana Duran

8:13 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home