sexta-feira, janeiro 20, 2017

Trilha do rock, etc.

Na sexta-feira passada (e depois novamente sábado e segunda), foi exibida a última parte da série "A Trilha do Rock no Brasil", do Canal Brasil. Parabéns a toda a equipe pelo excelente documentário. Não foi surpresa o gaúcho Juarez Fonseca ter aparecido em vários episódios, pois é uma lenda do jornalismo musical. Mas fiquei feliz pelo destaque recebido por meu amigo Zeca Azevedo, confirmando que é um dos melhores críticos da atualidade no país (ainda que possa não gostar do termo "crítico", tanto que foi creditado como "Discófilo e Pesquisador", como se vê acima). Os depoimentos dele foram usados em três dos 13 capítulos. Em "Splish Splash", fez um curto mas certeiro comentário sobre o pós-Jovem Guarda. Em "Um Satélite na Cabeça", discorreu longamente sobre o Mangue Beat, uma de suas paixões. Por fim, em "A Saga Continua", apresentou uma visão do panorama atual da música na era da Internet. Outro que mandou muito bem foi Léo Felipe no segmento sobre rock gaúcho. Estou satisfeito de ter indicado as pessoas certas para falar sobre o que eu não conhecia a fundo, aí se incluindo também Rogério Ratner, Arthur de Faria e Kátia Suman.
Neste mês, tive a honra de me encontrar com dois expoentes da pesquisa musical no Rio Grande do Sul. Um deles foi Henrique Mann, que também é músico. Ele é o autor de uma série de fascículos sobre a música rio-grandense que depois foi reeditada em forma de livro sob o título "O Som do Sul". Está esgotado, mas eu tenho e levei para ele autografar. Numa "troca de oferendas", consegui também três CDs dele e ganhei mais um livro que eu não conhecia.
Aqui está o autógrafo que ele colocou em "Retratos da Vida Boêmia".
Hoje falei com o jornalista Cristiano Bastos. Comprei dele o DVD "Nas Paredes da Pedra Encantada", documentário que ele e Leonardo Bomfim produziram sobre o lendário LP Paebiru, de Zé Ramalho e Lula Côrtes. Ele ainda tem pouquíssimas peças para venda a 50 reais cada. Corram! Cristiano também é co-autor do livro "Gauleses Redutíveis", sobre rock gaúcho, escreveu a biografia de Júlio Reny (levei meu exemplar e peguei autógrafo do autor, como se vê abaixo) e prepara a de Flávio Basso/Júpiter Maçã.
Este ano, em matéria de shows, Porto Alegre promete. Dia 21 de março tem o ex-Supertramp Roger Hodgson no Pepsi On Stage.  Em 4 de abril é a vez Elton John e James Taylor no Anfiteatro Beira-Rio. Os dois já estiveram aqui, mas em momentos diferentes. Por fim, em 27 de maio o grupo Renaissance se apresentará no Araújo Vianna. Nenhum dos instrumentistas da banda atual pertenceu à formação clássica, mas a presença da cantora Annie Haslam, com sua voz límpida e maravilhosa, já faz valer o preço do ingresso.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home