quinta-feira, fevereiro 16, 2017

Mais um conserto caseiro

Em 2013, como comentei aqui, adquiri meu primeiro (e, por enquanto, único) home theater. Além de comprar um aparelho de Blu-ray com som 5.1, substituí meus velhos televisores Phillips de 20 polegadas (mas que me serviram muito bem por longos anos) por uma TV de 32 polegadas tela larga com 3D. E, assim, mergulhei num mundo novo de áudio e vídeo. 

Há alguns meses, o televisor começou a falhar. Desligava e ligava sozinho, sem qualquer acionamento do controle remoto. Primeiro, cheguei a pensar que o controle pudesse estar em curto e por isso enviasse os comandos não solicitados. Mas depois certifiquei-me de que não era essa a causa. Potência instável, talvez? Quem sabe usando um estabilizador? Não resolveu. Houve um período em que a falha deixou de ocorrer, me fazendo acreditar que não tornaria a acontecer. Mas, quando eu menos esperava, o problema voltou. E desta vez, aparentemente, para ficar. 

Quem me conhece, até pelo que já escrevi algumas vezes aqui no Blog, sabe que eu não acredito em conserto de componentes eletrônicos. Até dei uma pesquisada em assistências técnicas, mas as avaliações postadas nas páginas respectivas eram desanimadoras. Claro que dei um desconto, pois sei que tem gente que ainda leva fé na capacidade das chamadas "autorizadas" em sanar qualquer defeito. Assim, quanto maior a expectativa, tão grande é a frustração. Mas, por tudo o que li, decidi que, por ora, não levaria meu televisor para uma oficina.

Decidi dar uma olhada em novos modelos de TV em 3D. Tive outra decepção: a maioria está saindo de linha. Segundo me informaram os vendedores - confirmado por algumas matérias que encontrei na rede - o recurso não chegou realmente a "pegar" no Brasil. Ora, mas como? Eu sempre adorei terceira dimensão, desde a infância! Primeiro, eram os cartões lenticulares. Existem até hoje e são lindos. Depois, fiquei fascinado com um gibi em 3D mediante uso de óculos de cores vermelha e verde, uma em cada olho. As 13 anos, em minha primeira viagem aos Estados Unidos, conheci os estereoscópios da marca View Master, sensacionais! Aos 29, assisti a uma exposição de holografias em Brasília e, no mesmo ano, visitei o Museu de Holografia de Nova York. Por fim, os filmes em 3D no cinema estão cada vez mais sofisticados e perfeitos. O surgimento do formato Blu-ray possibilitou que se trouxesse essa tecnologia para dentro de casa. Infelizmente, muitos não lhe deram valor. Devem ser os mesmos que contratam TV a cabo para só ficar vendo a Globo. 

Apenas por descargo de consciência, resolvi pesquisar na Internet para ver se havia alguma solução. Foi só eu começar a digitar no Google e ele próprio já me sugeriu a frase "televisor marca tal liga e desliga sozinho". Isso significa que esse argumento de busca já foi bastante usado por outros internautas. Aí, para minha grata surpresa, encontrei não um ou dois, mas vários vídeos no YouTube informando como resolver o problema! Alguns rápidos e certeiros, outros levando até 15 minutos para explicar tudo, depois de fazer um certo suspense. Em suma, o que ocasiona o defeito citado é que um ou mais parafusos da placa mãe do televisor estão soltos. Então, basta abrir o televisor e apertar os parafusos da placa mãe. Lógico que isso demanda tempo, cuidado e paciência, pois é preciso remover um por um os parafusos que mantêm o televisor fechado e depois saber como recolocá-los nos lugares certos. Mas eu tentei e, por enquanto, está funcionando. De fato, um dos parafusos da placa mãe estava bem frouxo. Não está mais. 

Esse foi um caso em que, ao contrário do que eu pensava, a solução do problema era bem simples. Trabalhosa, mas sem exigir grandes conhecimentos tecnológicos. Enquanto isso, vou pensar em lançar uma campanha para salvar as TVs em 3D. Tanto quanto eu saiba, os Blu-rays com esse recurso continuam sendo lançados. Mas posso incluí-los em minha campanha, também.

2 Comments:

Blogger José Elesbán said...

Boa dica.
O que ouvi de algumas pessoas é que, se fosse para usar óculos, elas não comprariam TV's com tecnologia 3D.
Além disso, estão se popularizando as TV UHD - 4K, e logo vem a 8K, que dizem alguns, seria como um "3D natural", isto é, a TV te oferecerá supostamente uma imagem tão rica que seria como olhar uma paisagem de uma janela. A ver.

3:57 AM  
Blogger Emilio Pacheco said...

Eu tenho uma coletânea de quadrinhos em 3D em forma de livro que inclui uma história supostamente em 3D "sem o uso de óculos". Mas são apenas desenhos com as profundidades mais bem desenhadas, mais ou menos como o "design em 3D" dos computadores. Não é realmente terceira dimensão. Será que não é isso que vem por aí com as novas TVs? O único sistema de 3D realmente sem uso de óculos que conheço são os cartões lenticulares que citei e também holografias, que esqueci de mencionar no texto. Posso acrescentar agora.

5:07 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home