sexta-feira, outubro 12, 2012

Em clima de despedida

Ironicamente, o primeiro acessório que terei em meu novo apartamento será algo que nunca fiz questão de instalar no atual: a "cozinha". Entenda-se: armários e demais complementos. Apesar do longo tempo em que acabei ficando aqui, nunca fiz questão de investir nisso, pois sempre considerei minha estada meramente transitória. Pois o atual morador do imóvel queria vender a cozinha, deixando-a como está. Embora o valor fosse bem mais baixo do que se eu fosse comprar tudo novo, concluí que não era prioridade e declinei da oferta. Ao saber disso, ele fez uma contraproposta irrecusável, baixando o preço para menos da metade. Dessa vez, aceitei. Então meus pratos e talheres, finalmente, sairão da geladeira. Literalmente.

Outra ironia foi quando, durante o andamento do processo de financiamento, o chamado "correspondente habitacional" me sugeriu que eu entrasse em contato diretamente com o pessoal da agência, já que eu era colega. Perguntei com quem eles tratavam desse assunto e quase caí pra trás quando ele me disse o nome da pessoa. Era uma ex-namorada minha com quem eu não falava havia mais de dez anos. Justo ela! No dia da assinatura do contrato, que foi na semana passada, acabamos conversando, é claro. Foi tudo muito amistoso. E com certeza ela me ajudou no que pôde. Então, aos poucos, o destino se encarrega de apaziguar algumas situações. Não sou de esquecer mágoas, mas posso dar uma trégua em nome da paz, depois que as feridas cicatrizam.

A mudança ainda deve demorar. Eu tinha feito uma estimativa para novembro, mas acho que pode ser dezembro ou janeiro. O vendedor tem um tempo para sair depois que receber o pagamento e eu até ganhei um bom desconto em função disso. Então vamos com calma. Tenho outros assuntos para tratar antes. Minha expectativa mais próxima é o show do Kiss, no dia 14 de novembro, no Estádio do Zequinha. Estou aqui, ouvindo trechos do DVD "Kiss Live in Nurburgring" como um ritual preparatório. Já garanti meu ingresso no segundo dia de venda, diretamente na loja. O Iuri está aqui comigo e daqui a pouco sairemos para nossa caminhada.

Em minha infância, antes dos nove anos, eu não era exatamente colorado fanático. Mesmo assim, lembro de como o meu time sofreu nas mãos do Grêmio, então vivendo seu momento de glória que o levaria ao heptacampeonato. Minha avó, mesmo sendo gremista, me consolava, dizendo que tudo iria mudar quando o Beira-Rio fosse inaugurado. E ela estava certíssima. O Inter viveu o melhor momento de sua história nos anos que se seguiram, superado apenas pelo título mundial em 2006. Pois agora os gremistas é que se consolam por antecipação. Confesso que a ideia de o co-irmão ressurgir com todo o gás após a inauguração da Arena não é algo que me entusiasme, mas pode acontecer. Geralmente, em casa nova, surgem as vitórias.

Pois eu também espero muitas êxitos e alegrias na minha futura residência. Até lá, vou curtir da melhor maneira possível este apartamento que me abrigou por 14 anos (completados em setembro - escapei do "número do azar"), entre bons e maus momentos. Em clima de despedida.

2 Comments:

Blogger Cléia Vargue said...

Dizem que o melhor é a viagem e não o destino, então o ideal mesmo é curtir sempre, sem ansiedades, estes três meses que ainda ficará por ai. Quem sabe um dia,distraído, depois de te mudar, tu ainda pegue o mesmo rumo do teu antigo apartamento e então perceba que já não moras mais ali. Isso aconteceu comigo, quando mudei de emprego kkkk.Um abraço

8:13 AM  
Blogger Emilio Pacheco said...

Espero que isso não aconteça, pois minha maior preocupação é que o Iuri entenda que eu NÃO moro mais aqui e que não sinta vontade de voltar para cá. Acho que não, porque o outro apartamento vai ser bem melhor tanto para mim quanto para ele.

9:32 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home