segunda-feira, setembro 24, 2012

Ouvindo Bee Gees

Hoje entrei numas de ouvir Bee Gees. Gosto de todas as fases do grupo, mas tenho um carinho especial pelos álbuns que eles lançaram no final dos anos 60, depois de voltarem da Austrália. Foi nessa época, em minha infância, que eu os descobri com "Massachusetts". Meu irmão ouvia o lado B do compacto, "Sir Geoffrey Saved The World", e se referia ao disco por essa música. Ele era radialista, então não duvido que fosse essa a faixa que tocasse nas emissoras de Porto Alegre. 

Essa série de relançamentos em CD produzida por Andrew Sandoval em 2006 e 2009 é simplesmente o mais precioso e caprichado relançamento já feito dos Bee Gees, no mesmo padrão que o produtor já usava para os Monkees. E os três primeiros títulos, "1st", "Horizontal" e "Idea" saíram no Brasil a preços bem acessíveis, embora sem a caixinha. "Odessa", infelizmente, teve que ser importado. 

Mas o material é de valor inestimável: as gravações originais em estéreo e mono (mixagens exclusivas, não apenas os dois canais do estéreo num só), faixas de compacto e gravações inéditas em fartura. A versão alternativa de "New York Mining Disaster 1941" que deveria ter sido lançada, até que o empresário Robert Stigwood pedisse que eles a regravassem "só com violão, como a tocaram para mim", é uma joia rara a ser descoberta. Confesso que me inspirei nos textos dos encartes (também de Andrew Sandoval) quando redigi os dos CDs de Hermes Aquino, especificamente aquele final: "a história continua no encarte do CD Santa Maria". Porque é dessa forma que é encerrado o histórico de cada um desses CDs, "chamando" o disco seguinte. Quando isso não foi feito em "Odessa", os fãs desconfiaram que a série não teria continuidade. Aparentemente, não terá, mesmo. Sandoval aproveitou as pesquisas que fez para lançar um livro sobre os Bee Gees dessa primeira fase. 

Lamento apenas que essas verdadeiras relíquias não tenham recebido dos fãs brasileiros a atenção que mereciam. A repercussão limitou-se aos colecionadores e admiradores mais atentos. Uma pena, pois é um trabalho que deveria ter sido mais bem recebido do que qualquer coletânea ou DVD de sucessos.

1 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Eu diria que esse é o melhor material oficial já feito para os Bee Gees, considerando até o catálogo todo. Retrata também a melhor fase dos irmãos, a mais criativa e apoiada pelos arranjos sinfônicos. Infelizmente, por razões internas e que também envolvem a relação com os Gibb, as reedições especiais parecem ter morrido no Odessa. A própria Rhino andou adotando medidas de contenção de custos, provavelmente vai investir em formatos mais baratos, sob demanda ou com retorno comercial mais garantido.
Abs. Claudio

12:57 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home