sábado, setembro 06, 2008

O "Superman II" de Richard Donner

Eu já havia comentado aqui no blog sobre o lançamento em DVD da versão de "Superman II" como originalmente idealizada pelo diretor Richard Donner. O texto está aqui. Mas agora, finalmente, comprei o DVD. Dei um tempo para ver se lançavam no Brasil, mas acabei adquirindo a edição importada, mesmo. Aparentemente, não tem bloqueio de zona, mas não traz legendas em português. É um filme belíssimo que merecia lançamento nacional. Os fãs brasileiros do Super-Homem iriam adorar.

Recapitulando: os filmes "Superman" e "Superman II" deveriam ter sido filmados na íntegra em uma única empreitada, em 1977, sob a direção de Richard Donner. Mas, entre o lançamento do primeiro e do segundo filme, houve algumas reviravoltas. Donner foi afastado e em seu lugar entrou Richard Lester, que aproveitou algumas cenas prontas, filmou novas e fez alterações no roteiro. Para complicar a situação, Marlon Brando, que no primeiro filme fazia o papel de Jor-El, pai do Super-Homem, não autorizou a utilização de sua imagem. As cenas que ele havia filmado tiveram que ser substituídas. Assim, o "Superman II" que chegou aos cinemas era bem diferente do que havia sido planejado pelo diretor original, Richard Donner. No Século XXI, por insistência dos fãs, que fizeram campanha na Internet, finalmente a versão de Donner foi remontada para lançamento em DVD. O diretor aparece em uma introdução especial, agradecendo o interesse. "Se não fosse por vocês, a minha edição nunca teria sido lançada."

A seguir, uma amostra das cenas exclusivas da edição de Donner, com comparações com a versão de Lester, que é a mais conhecida.

O filme começa com a mesma cena inicial do primeiro "Superman", com o julgamento de três criminosos kriptonianos presidido por Jor-El. O "Superman II" de Richard Lester não pôde mostrar Marlon Brando, então suas falas foram substituídas por uma voz em "off". Agora o filme inicia como originalmente planejado - ou seja, repetindo a cena do primeiro - mas, para não ficar exatamente igual, foram escolhidos outros ângulos de câmera. O quadro comparativo acima foi capturado do documentário "Superman II: Restoring the Vision", que está nos extras do DVD.

Para obrigar Clark Kent a admitir que é Super-Homem, Lois se atira da janela do Planeta Diário, esperando que ele a salve.

Mas Clark desce para a rua em supervelocidade e amortece a queda de Lois com seu supersopro...

...fazendo-a cair no toldo e dali para cima das frutas, sem perceber que foi ele quem a salvou.

Vocês devem lembrar que, na edição de Richard Lester, Lois tenta a mesma manobra nas Cataratas do Niágara. Igualmente, Clark consegue salvá-la sem se revelar.

Na versão de Richard Donner, Lois consegue fazer Clark admitir que é Super-Homem disparando uma arma contra ele.

Clark se dá por achado, mas a repreende: "Se eu não fosse Super-Homem, você teria matado Clark Kent". Ao que ela responde: "Com balas de festim? Te peguei!"

Já na edição de Richard Lester, Clark se trai ao deixar cair as mãos no fogo da lareira do hotel. Lois as examina e percebe que estão intactas. Ele acaba se revelando.

Quando Lex Luthor e sua comparsa invadem a Fortaleza da Solidão de Super-Homem, acabam assistindo a uma gravação de Jor-El. Como Marlon Brando não pôde aparecer na versão de Richard Lester, sua imagem foi substituída por a de um kriptoniano e, posteriormente, pela mãe do Super-Homem.

Clark decide assumir seu amor por Lois e faz contato virtual com seu pai. Observem Lois usando a camiseta de Super-Homem e Clark com roupas comuns.

Já na versão de Lester, como as imagens de Marlon Brando não puderam ser usadas, é a mãe do Super-Homem que surge do além para lhe dar conselhos. Essa cena em que ela "sai" do cristal como uma holografia foi cortada de algumas edições, como a que passou na televisão, por exemplo.

Essa é a cena mais importante da edição de Richard Donner. Quando o "Superman II" de Richard Lester passou no cinema, na TV e saiu em vídeo, muitos reclamaram que a restauração dos poderes do Super-Homem não ficou bem explicada. Ele apenas voltou para a Fortaleza da Solidão, achou um cristal verde e, na cena seguinte, já estava voando novamente. O que aconteceu? Eis a resposta: seu pai Jor-El apareceu pela última vez e disse que utilizaria o que restava da energia que havia sido preservada desde sua morte. "A profecia kriptoniana se cumpre. O filho se torna o pai e o pai se torna o filho." A imagem virtual de Jor-El o toca e vemos Clark tremendo com a energia que recebe até cair no chão, desmaiado. Foi assim que ele voltou a ser o Super-Homem.


Aqui, uma cena filmada por Richard Donner que o xará Lester não quis usar: na luta com os superbandidos kriptonianos, Super-Homem é arremessado contra a tocha da Estátua da Liberdade. Fica aqui um apelo para que esse DVD seja lançado no Brasil. É uma produção esmerada que não pode faltar nas coleções dos dos fãs brasileiros do herói.

(Se tópicos sobre filmes de heróis lhe interessam, confira O primeiro Batman das telas, também incluindo comparações de cenas.)

2 Comments:

Blogger Osvaldo said...

Onde vc comprou. Fiquei muito interessado.

Não saiu mesmo no Brsil né?
Abraços

11:12 PM  
Blogger Emilio Pacheco said...

Ainda deve ter para encomendar na CD Point. Não saiu no Brasil, não.

7:54 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home