sexta-feira, março 30, 2007

Googladas incautas da semana

Conforme prometido, aqui vão os mais incríveis argumentos de busca usados por internautas para chegar a este blog na semana que está terminando. Como já comentei, são pessoas que acham que o Google é um programa de inteligência artifical capaz não apenas de entender o que se explica, mas também de trazer de bandeja o que foi solicitado.

Da série "Pergunte ao Google":

em que ano nasceram beatles e quais eram os elementos e em que ano se separaram

É só isso que você quer saber? Já experimentou digitar apenas "Beatles"? A chance de achar o que você procura será bem maior. Quanto à sua desinformação, isso tenho que aceitar. Infelizmente nós, Beatlemaníacos, estamos todos ficando velhos. As gerações atuais pouco sabem sobre o maior grupo musical de todos os tempos. Menos mal que estão tentando aprender, mesmo que seja fazendo uma pergunta informal nos mínimos detalhes ao Google. Nunca esqueço quando a vendedora em uma loja disse que os únicos bonecos da série Submarino Amarelo que eles tinham eram o do John Lennon e o do George Michael (sic).

Outra:

onde moram os bee gees

Google, Google meu, venha do espaço profundo e diga onde aquele grupo se escondeu! Robin mora em Thame, na Inglaterra, e Barry parece que está em Miami, nos Estados Unidos.

Outra:

em que situacoes o verbo existir vai paro o plural

Ué? Quando o sujeito estiver no plural, ora! Não existe nenhum caso especial. Esse deve ser o típico "decorador de regrinhas", daqueles que recitam na ponta da língua tudo o que aprenderam na aula de português, mas continuam não entendendo nada. Em época de concursos ele fica repetindo: "O verbo haver, no sentido de existir, não vai para o plural. O verbo haver, no sentido de existir, não vai para o plural." Depois da segunda ou terceira cerveja ele já começa a embaralhar: "O verbo existir, no sentido de haver... Não, peraí... O verbo haver no plural... Não... O verbo existir..." E aí resolve consultar o mestre Google. Certa fez escrevi de brincadeira que a solução para acabar com as dificuldades de português seria "liberar geral", passando a aceitar os erros mais freqüentes como corretos. Uma de minhas sugestões foi de que a palavra "excesso" poderia ser escrita das mais diversas formas, respeitando apenas os fonemas, donde não se aceitaria, por exemplo, "eseso". Por ter escrito isso, possibilitei que a consulta abaixo chegasse a este blog:

agua em eseso faz mal

Faz, sim. A morte por overdose de água é popularmente conhecida como afogamento.

Esta (provavelmente é mulher) explicou bem ao Google o que está procurando:

frases bonitas de consolo para uma amiga

Além de confiar no senso estético de uma ferramenta de busca, para que encontre somente mensagens bonitas, ela ainda fez questão de explicar ao Sr. Google que o consolo não era para ela e sim para uma amiga. Isso me lembra as pessoas que perguntam para atendentes de locadora de vídeo: "Este filme é bom?" Uma avaliação que deveria ser totalmente subjetiva já está se tornando tão incontestável que até o Google consegue reconhecer! Ou pelo menos era o que esperava essa "consulente".

É impressionante a quantidade de gente que inicia uma consulta com a palavra "quero". Estão expressando seus desejos ao Sr. Google, na esperança de que ele se sensibilize. Por exemplo:

quero um site com mensagens em power point diferente

Diferente do quê?

quero saber do cantor nei lisboa do rio grande do sul sobre sua vida e carreira

Bem explicadinho! Parabéns por seu interesse. Esse mais ou menos se enquadra no caso em que "às vezes dá certo". Algumas informações sobre Nei Lisboa o meu blog até tem. Mas não todas.

quero ouvir musicas de b.j.thomas

Ué, o Google virou DJ agora? Quer oferecer a música para alguém?

Por outro lado, fico feliz em verificar que uma quantidade significativa de visitantes aqui chega procurando os textos falsamente atribuídos a Mario Quintana. Digitam, por exemplo, poema borboletas de Mario Quintana e bingo! - caem no texto "Os falsos Quintanas". Espero que aproveitem para se instruir um pouco. Mas não posso deixar de citar esta consulta:

poemas em forma de versos de Mario quitana

Existem "poemas em forma de prosa"? Bem, há quem diga que é o caso de "Iracema", de José de Alencar. Mas acho que essa redundância tem mais a ver com a mania de algumas pessoas de chamar qualquer texto de "poema".

Essas foram as melhores "googladas incautas" da semana. Até a próxima e não deixem de ler o "Curso rapidíssimo de Google" para evitar de cometer essas mancadas.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home