sábado, setembro 19, 2015

Queen com Adam Lambert

Segunda-feira é dia de ver Queen com Adam Lambert no Gigantinho. E eu fiz questão de não assistir pela TV à apresentação que eles fizeram no Rock in Rio. Já estou farto de chegar nos shows sabendo tudo o que vai acontecer. Excesso de informação tira um pouco a graça. Desta vez, quero ser surpreendido.

Gostaria de deixar claro que não vejo problema nenhum em Brian May e Roger Taylor estarem excursionando com outro cantor que não Freddie Mercury. Como ele morreu, deixou de ser opção. Mas o guitarrista e o baterista estão muito vivos e não precisam se aposentar. Com certeza Freddie era a cara e a voz do grupo, mas meu integrante preferido sempre foi Brian, com seus rocks incendiários. E Roger é uma espécie de arma secreta. Além de ótimo baterista, também tem boa voz. Ao decidirem voltar à estrada, os dois passaram a cantar mais nos shows. Inclusive, Roger passou a fazer vocal solo em "Radio Ga Ga", de sua autoria. Até 1980 ele sempre cantava em suas próprias composições, mas essa, especificamente, teve vocal de Freddie na gravação original. 

Na primeira reencarnação do Queen, que durou de 2004 a 2009, Paul Rodgers era o cantor. A escolha do ex-membro do Free e do Bad Company, considerado um dos melhores vocalistas de rock de todos os tempos, com certeza teve o intuito de apresentar um substituto à altura para Freddie. Alguém que tivesse nome. O problema é que a postura "máscula" de Rodgers não necessariamente combinava com a imagem do grupo. Também seu timbre nem sempre se moldava aos clássicos do Queen. As opiniões se dividiram, mas foi uma bela experiência. A formação May-Taylor-Rodgers chegou a lançar um CD de inéditas, The Cosmos Rocks, em 2008. Infelizmente, o baixista John Deacon não quis retornar.

Adam Lambert é artista de nova geração, revelado no programa American Idol. Estou curioso para ver como se sairá. É interessante que muitos fãs acreditam que o cantor ideal para o Queen seria George Michael, que cantou "Somebody to Love" no Tributo a Freddie Mercury em 1992. Mas não consigo imaginar o ex-vocalista do Wham tendo a energia necessária para interpretar rocks como "We Will Rock You", "Now I'm Here", "Hammer to Fall" e "Tie Your Mother Down". O Queen não era somente os hits radiofônicos. Existe o lado pesado do grupo, quase todo formado pelas composições do guitarrista Brian May, que exige uma voz de roqueiro.

Segunda-feira estarei lá, entusiasmado em ver de perto os lendários Brian May e Roger Taylor. Cheguei a ler alguns comentários realmente ofensivos à nova formação no Facebook, chamando-a  de banda de cover, mas não me importo. Me deem um bom show de rock e ficarei feliz.

Bom resto de fim de semana a todos.

1 Comments:

Blogger zealfredo said...

Vamos aguardar o teu comentário pós-show.

11:24 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home