segunda-feira, setembro 23, 2013

Fidelidade e lealdade

Há muito tempo eu penso em escrever aqui no Blog sobre a diferença entre fidelidade e lealdade. Talvez até o dicionário indique as palavras como sinônimas, mas eu vejo uma clara distinção. Para minha surpresa, o tema foi abordado na Zero Hora pelo poeta Fabrício Carpinejar. Cliquem aqui para ler o que ele escreveu. Para ele, em suma, a lealdade consiste em ser sincero com o parceiro nos sentimentos sobre a relação. Falar o que incomoda, dizer o que se quer. Abrir o coração para que os dois consigam se entender.

Embora eu ache interessante e válido o ponto-de-vista de Carpinejar, as minhas definições eram um pouco diferentes. Fidelidade é o óbvio: consiste em não trair sexualmente. Mas lealdade é algo maior. Se eu fosse resumir em uma frase, seria: não desmoralizar o parceiro, nem permitir que seja desmoralizado. 

Por exemplo: você está numa festa sozinho. Vem uma mulher e faz uma gracinha com você. Sua esposa ou namorada não pôde vir junto, mas continua existindo um vínculo de lealdade entre vocês. E aí, como você reage? Dá corda? Responde com um sorrisinho? Aproveita a chance para engatilhar um possível caso? Bem, você faz o que achar melhor. Mas pode estar certo que o que sua cara-metade espera que você faça é encerrar o assunto e, de preferência, deixar claro que a atitude não foi bem-vinda. Você consegue? Isso seria um exemplo do que eu entendo por lealdade. Não apenas evitar de buscar rolos, mas nem deixar que eles evoluam por iniciativa alheia.

Se nós, homens, enxergamos as qualidades das mulheres que vieram a ser nossas esposas ou namoradas, é óbvio que outros verão, também. As mulheres especiais têm brilho próprio e emanam constantemente uma energia positiva que todos captam. Logo, não há como impedir que outros se interessem por elas, mesmo sabendo que são comprometidas. Quando elas desfilam na rua (elas não "andam", como diz o clichê), os olhares masculinos são fatalmente atraídos. Os mais vulgares arriscarão um gracejo ou assobio. Os mais tarimbados talvez esperem a oportunidade para uma abordagem com mais classe.

Até aqui, é inútil sentir ciúme. Tudo o que foi descrito até agora acontece de forma inevitável. Mas, admitamos, nós não queremos que essas atitudes tenham o menor grau de acolhida. E, quando uma mulher realmente quer, ela sabe a maneira certa de cortar um homem. De não proporcionar "terreno fértil" para qualquer tipo de cantada. O que se espera de uma mulher leal não é apenas que resista à investida, mas que dê ao "atacante" a inequívoca mensagem de que foi inconveniente. E que não quer mais conversa com ele. Mesmo que ele se saia com a tradicional desculpa de que foi uma brincadeira inocente e ela já levou para o lado malicioso.

Difícil? Talvez. Para os dois lados. Mas isso é o que eu entendo por lealdade.

1 Comments:

Blogger Cléia Vargue said...

Acho que o simples "Não faça aos outros o que não quer que faça pra você" é um princípio válido para toda a atitude e que resguarda todos os relacionamentos.
Mas às vezes, o egoísmo é maior, e a ação é desastrosa...por isso temos que estar atentos e agir com retidão.
Boa semana amigo!!!

4:11 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home