quarta-feira, março 16, 2011

"Audio books" e a personalização das compras

Embora o meu amor pelos livros seja no formato tradicional, ou seja, em volume impresso, não sou totalmente avesso a algumas novidades. O que me torna resistente ao Kindle é muito mais o fato de ser um produto fechado do que propriamente o meio de leitura. Por exemplo, eu já instalei no meu computador o Kindle for PC, que é gratuito. Assim, posso comprar um e-book da Amazon e lê-lo aqui mesmo, no monitor. Mas só vou conseguir visualizá-lo se tiver o Kindle for PC instalado. Não posso copiar o arquivo para levá-lo a outro computador, por exemplo. E, se esse outro computador também tiver Kindle for PC instalado, no mínimo eu vou ter que informar minha senha. Ou seja: o produto comprado é personalíssimo. Só eu posso usá-lo.

Pois hoje resolvi dar uma chance a um "audio book", ou livro gravado. Na verdade eu já comprei alguns "audio books" em CD. Mas este de hoje eu adquiri do Audible, que é um site parceiro da Amazon. Ingenuamente eu pensava que iria baixar um arquivo mp3. Por que não? Os livros em áudio editados no Brasil, em sua maioria, contêm arquivos mp3 em CD. Em vez disso, tive que baixar e instalar um programa específico para só depois conseguir fazer o download dos arquivos em formato proprietário. Não é possível convertê-los para mp3. O programa recomendado para ouvi-los é o iTunes, que felizmente eu já tinha, mas outros podem ser usados, também. A gravação pode ser ouvida em iPod (aí pode), BlackBerry ou celular com iPhone, mas não em celular com webOS (aí não pode). Ainda tenho que examinar com calma todas as compatibilidades. Mas o que mais me entusiasmou é que é possível gravar o "audio book" em CD de áudio. Só que é preciso um CD para cada 70 minutos, aproximadamente. E alguns títulos chegam a ter mais de 20 horas. Fico pensando na longa jornada do narrador, sem contar os erros e repetições.

Eu preferiria mil vezes poder baixar um arquivo em PDF em vez de ter que instalar o Kindle for PC para ler um livro na tela. Assim também, seria muito mais simples adquirir um "audio book" em mp3. Isso me daria a vantagem da portabilidade. Não, eu não sou ingênuo, nem estou me fazendo de bobo. Sei muito bem que, se isso fosse possível, a pirataria correria solta. Em menos de uma semana os livros digitalizados estariam disponíveis gratuitamente para o "povo" baixar. E lá se iriam os lucros de quem investiu nos novos formatos. Mesmo assim, eu fico decepcionado com essa "amarração" ao usuário comprador. A era digital permite isso, mas a que ponto chegaremos? Com o avanço dos leitores de impressões digitais (que pode dar um novo significado à expressão "era digital", ao menos em português), pode vir uma época em que televisores, automóveis, computadores, DVD players e outras geringonças funcionarão exclusivamente para a pessoa que os comprou. Você não estará adquirindo apenas um produto, mas também uma licença personalíssima para o seu uso. Não sou muito simpático a essa ideia, mas enfim, sabe-se lá o que o futuro nos reserva.

Um atrativo adicional do "audio book" para mim é exercitar minha compreensão auditiva de inglês, além de "recarregar as baterias" da pronúncia. Sinto falta de treinar conversação, mas a leitura e a escuta do idioma ajudam manter a fluência.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home