domingo, setembro 05, 2010

Ken Auletta e as redes sociais

Agora que voltei a ter TV a cabo, tenho que me acostumar a ligar o televisor novamente. Tem muita coisa interessante sendo mostrada nos meus canais preferidos. Há pouco assisti a uma entrevista no Bloomberg com o escritor Ken Auletta, autor do livro "Googled, The End of The World As We Know it" ("Googlados, o fim do mundo como o conhecemos"). Ele falou na ascensão das redes sociais tipo Facebook e Twitter. "A ferramenta de busca do Google é excelente, mas se você quer comprar uma câmera, por exemplo, faz uma pesquisa e recebe uma avalanche de dez mil resultados. É mais fácil anunciar no Twitter e receber apenas dez ou 15 respostas de pessoas em que você confia. Por isso a empresa Google tentou comprar o Twitter mas não conseguiu. E não foi uma questão de quantos dólares foram oferecidos: o Twitter não está à venda." Ele acredita que o futuro da Internet está nessas redes sociais e isso assusta à empresa Google. Mas o mais interessante para mim foi uma citação rápida que ele fez: "A empresa Google já tentou lançar sua rede social, o Orkut." Mas, segundo Auletta, essa não seria, digamos, a praia do Google.

Como já comentei nos primórdios do Blog, o que prejudicou o Orkut, salvo melhor juízo, foi a invasão brasileira. A forma indiscriminada com que os internautas do Brasil tomaram de assalto o site, chegando mesmo a postar em português em comunidades em inglês, terminou por afugentar os americanos. Lembro de uma época em que chegou a haver uma campanha para colocar os brasileiros em primeiro lugar na estatística do Orkut. Com isso, os usuários dos Estados Unidos terminaram por migrar para outras redes semelhantes, como MySpace e Facebook.

Alguns comentários feitos por Auletta sobre o Facebook se assemelharam muito ao que eu já falei algumas vezes sobre o Orkut: a tendência de alguns internautas é a de enxergar esses sites como "a" Internet. Aqui no Brasil é o Orkut, nos Estados Unidos é o Facebook. E o Twitter chegou depois para reduzir tudo a frases curtas. Eu só imagino o ódio que o pessoal do Google deve ter do Brasil por ter tomado conta do Orkut e com isso impedido que ele se tornasse a rede social de referência nos Estados Unidos e no mundo. Teria curiosidade de saber se Auletta conhece verdadeiramente a história do Orkut. Enfim, nada é mais global do que a Internet e os investidores têm que estar preparados para tudo. Em qualquer site onde um cidadão do mundo possa postar uma mensagem em seu idioma, outro conterrâneo pode ir lá e responder. Independente do país onde esse site tenha sido criado.

6 Comments:

Blogger Marcia Regina said...

Emílio,

Puxa! que prazer conhecer você.
Saiba que não levei um tropeção e caí aqui no seu blog. Um amigão seu me indicou. Gostei muito do que vi e li. Muito real e nada virtual as considerações de sua postagem acerca das redes sociais, baseada em Ken Auletta. Adoro conhecer pessoas inteligentes, expressivas e muita história boa para contar. Creio que você é assim. Hoje, feriadão, um dia cinza que dói, passar por aqui foi um presente.

Abraços,

Marcinha

1:58 PM  
Blogger Emilio Pacheco said...

Obrigado pela visita e pelos elogios. Infelizmente não tenho postado aqui com a mesma frequência dos primeiros tempos, mas você pode examinar as páginas anteriores. Quem me indicou? Seja quem for, obrigado a ele também. Abraços.

2:05 PM  
Blogger Emilio Pacheco said...

Ah, já sei "Kem" foi!

2:15 PM  
Blogger Marcia Regina said...

Foi ele mesmo "kem" o indicou. Gente boa, né. Pena que está com pouco tempo ultimamente. Aliás, tempo é uma palavra constante deles. Até nas músicas, ja percebeu? Desculpe, acho que não notei, se é que existia no seu blog. De onde você é? Acredito que passe constantemente por minha cidade, afinal, Aeroporto Internacional. Bom dia pra você.

Abraços,

Marcinha

8:25 AM  
Blogger Emilio Pacheco said...

Ué, tá ali escrito em baixo da minha foto: Porto Alegre. Eu colaboro com o programa dele enviando músicas, mas é ele quem decide o que toca e o que não toca. Não tenho viajado muito, não. Abraços.

8:33 AM  
Blogger Marcia Regina said...

Nossa! É mesmo. É que normalmente vemos só o que interessa.O cérebro é assim. Por isso, quando precisamos estudar ou reter uma nova informação precisamos repetí-la várias vezes.Já ouviu aquela frase que diz "a repetição é a mãe da retenção?". Olhei para a sua foto e nada mais. Achei bonitinho você falando "Ué". Parece até um menino!

Abraços,

Marcinha

12:03 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home