quinta-feira, julho 08, 2010

Vinil e CD

Está surgindo uma nova tendência nas "edições especiais" de relançamentos no exterior: incluir vinil e CD num superpacote. Eu, mesmo sendo colecionador, acho que é exagero. O vinil de boa qualidade tem seus adeptos entre os chamados "audiófilos", mas dificilmente alguém vai querer os dois formatos. Sou totalmente a favor de caixas de CDs com farto material, mas incluir vinil junto é desnecessário. Poderiam então lançar duas edições e cada um escolheria o seu formato preferido. Acima está o conteúdo da caixa "Tubular Bells", reedição do clássico álbum progressivo de Mike Oldfield, de 1973. E aí está a overdose de itens no relançamento especialíssimo de "Station to Station", de David Bowie, original de 1976. Esse deve estar à venda em setembro. Vou pedir de presente para o Papai Noel.

P.S.: Já comprei os dois. Para lerem uma crítica à forma como os CDs estão sendo acondicionados nesses relançamentos de luxo (já saíram vários outros no mesmo formato), cliquem aqui.

5 Comments:

Anonymous Alcides said...

Emilio:cada um com seu gosto, mas prefiro o vinil, tanto é verdade que o mercado de CDs está caindo e o de vinil aumentando em boa parte do mundo.Cada vez menores as tiragens de CDs.Estou trocando meus CDs e botando de volta os bolachoes que fizeram minha alegria juvenil dos anos 70.

5:00 PM  
Blogger Emilio Pacheco said...

Muita gente prefere vinil, mas eu não consigo. Pra mim o CD foi um achado, pois acabou com os problemas que eu tinha com os LPs. O vinil brasileiro era de péssima qualidade e muitas vezes já vinha com problema das lojas. E depois ficava difícil preservar. Não sei por que, os trechos mais silenciosos das faixas eram mais propensos a juntar poeira (que depois não saía nunca mais). De qualquer forma, o que eu quis dizer nesse comentário é que deviam ter lançado edições separadas para vinil e CD e não "tudo junto incluído".

7:06 PM  
Blogger Guto Villanova said...

GrAnde Emilio!!! Tá tudo blz contigo? Confesso que gostaria muito de ganhar de natal esse material fantástico do clássico "Station to Station" do Bowie. QUando podes ir lá no meu programa de novo?

8:59 AM  
Blogger Emilio Pacheco said...

Adoraria voltar a qualquer momento, Guto, mas meu atual horário de trabalho está menos flexível, então isso precisaria ser agendado com uma certa antecedência, para eu poder combinar com os chefes de chegar antes ou fazer um intervalo em horário especial. Obrigado pela visita, abração!

9:04 AM  
Blogger Alex said...

Gostar de vinil é uma onda retrô que passa. É o mesmo que gostar de TV e cinema em P&B, usar fax em vez de email e por aí vai. No vinil a audição é única, uma vez "raspado" pela agulha há inserção de sinais pela mesma, que será ouvido na próxima execução e assim por diante. No som digital ouve-se o silêncio, quando há, e a reprodução é sempre a mesma.

2:14 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home