sábado, julho 03, 2010

Brasil fora da Copa

Quando o Brasil cai fora da Copa, a gente fica tão desolado que até esquece que isso acontece na maioria das vezes. Por exemplo, eu já assisti a onze Copas (já que eu era nenê em 1962 e a de 1966 não foi televisionada) e só vi a Seleção Brasileira vencer três delas. É um bom número, pensando bem, mas é menos de um terço. Então não adianta, temos que aprender a ser bons perdedores.

Algumas dessas derrotas ficaram marcadas. Na Copa de 82, eu já tinha combinado de assistir ao jogo do Brasil posterior ao confronto com a Itália na casa de amigos. Como se sabe, não houve esse jogo. Ainda assim, no dia da partida contra a Itália, eu fiz o que tinha planejado: aproveitei o horário de trabalho reduzido naquele dia de semana para sair e fazer compras depois do final. Era uma tarde chuvosa em Porto Alegre e ainda lembro de um camelô no centro, aparentemente bêbado, gritando repetidamente: "Acabô... acabô..."

Da Copa de 86, ficou na lembrança o personagem de Jô Soares falando no orelhão, depois do jogo contra a França: "Quem ensinou o Sócrates a bater pênalti daquele jeito?" Sempre lembro dessa frase quando revejo a decisão em pênaltis em DVD. Já a partida contra a Argentina em 1990 eu gravei em VHS, mas não estou conseguindo localizar a fita. Quando houve a revelação de que Branco havia sido dopado, revi todo o jogo, fazendo anotações. Depois publiquei aqui no Blog um comentário intitulado "
Branco e o vídeo-tape da polêmica". Recordo também de uma sátira que a Rádio Transamérica veiculou sobre o acompanhamento de "O Pulso", dos Titãs. Em vez de "e o pulso ainda pulsa (o pulso)", o refrão dizia: "viajaram às nossas custas (tô puto)". A letra era longa e bem elaborada, mas logo os Titãs pediram que ela fosse tirada do ar, já que foi feita sem autorização deles.

Houve quem achasse que a Seleção dos Estados Unidos tinha chance de ser campeã. Os americanos são muito aplicados em tudo o que fazem, mas futebol vem do berço. E a terra do Tio Sam, sem nenhuma tradição nesse esporte que a maioria de seu povo nem mesmo conhece, ainda está longe de chegar lá.

Apesar do sangue alemão pelo lado de minha mãe, acho que vou torcer pelo Uruguai.

Leia também:
Fim Amargo (sobre a Copa de 2006)
O detalhe no futebol

1 Comments:

Blogger Rosinha Monkees Viegas said...

... e como comemorei a saída da Argentina também, hehehe 4 salsichões, quem diria... ein Prosit!!!

9:46 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home