quinta-feira, abril 27, 2006

O muro da galeria

Ontem fui conhecer o "muro da vergonha" que construíram na Galeria do Rosário. Eles juram que foi uma orientação de segurança, mas seria apenas isso? A parede fechou a saída perpendicular que existia na metade do trajeto em direção à Otávio Rocha. Aquele trecho, oficialmente, não pertence à Galeria do Rosário. É outra galeria chamada XV de Novembro. Na inauguração, segundo fui informado, a Galeria do Rosário começava na Vigário José Inácio e terminava ali, formando um L com a XV. Depois o L virou T com a extensão até a Marechal Floriano. Agora foi feita a separação oficial, com o isolamento da "perna" do T. Suspeito que possa haver motivos políticos, já que eram condomínios separados que o público via como um só. Imagino discussões como "isso é com a administração da XV" ou "não é responsabilidade nossa".

Visitei os dois lados da divisão. Na Galeria do Rosário, nem se diz que ali existia uma passagem. A parede está rebocada e pintada, com dois grandes vasos à frente. Já no lado da XV de Novembro, há tijolos à vista e vários cartazes de protesto dos comerciantes que ficaram isolados. A Galeria do Rosário serve de passagem e tinha a XV como entrada ou saída opcional. Agora acabou. A XV virou um beco e ninguém mais vai "passar" por ela, o que prejudica a visibilidade do comércio ali instalado.

A Galeria do Rosário mudou muito desde a minha infância, quando eu a atravessava com minha mãe ou minha irmã para ir ao Jardim de Infância. Ela tinha diversas lojas de brinquedos onde eu ganhava carrinhos "matchbox", fantoches e jogos diversos. Tinha também três lojas de discos onde dei início a minha "carreira" de colecionador e apreciador de música. Lembro da Chá Flora, sofisticada loja de artigos e presentes japoneses. A Casa dos Gravadores até que durou bastante, só acabou nos anos 90. Ontem constatei que a tradicional confeitaria também não existe mais. Predominam as "lojinhas de muamba" e algumas lancherias, entre elas o popular "Cachorro do Bigode" e o concorrente "Cachorro do Tomate", inaugurado há pouco tempo.

O fechamento do acesso à galeria XV de Novembro escureceu um pouco a Galeria do Rosário. Uma pena. De qualquer forma, já apus meu nome no abaixo-assinado que foi colocado do lado feio da parede. Mas, a julgar pela adaptação rápida do outro lado, vai ser difícil derrubá-la.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home