quarta-feira, outubro 13, 2010

Estereótipos

Odeio a presunção de que as pessoas todas se enquadram num estereótipo. De que só existe um número determinado de personalidades e, em cinco minutos, é possível saber a qual delas você corresponde. Não sei o que é pior: a tentativa de enquadramento ou a reação de surpresa quando as características começam a não fechar. Aí se ouvem frases assim: "Puxa, você é tímido e fez Jornalismo?" "Por que você é barrigudo, se não toma cerveja?" "Como sagitariano, você deveria ser mais assim ou mais assado." E assim por diante.

Nunca esqueço de uma locadora de vídeo que abriu perto de minha casa, há muitos anos. Fui fazer uma visita e a dona logo perguntou meu gênero preferido de filme. Respondi que eram vários. E realmente são: adoro shows, documentários, drama, suspense, comédias românticas, sátiras, clássicos, ação, de tudo um pouco. Só não me entusiasmam muito os filmes de época. E ainda assim alguns me surpreendem. Mas, diante de minha resposta, ela retrucou: "Ah, mas na segunda vez em que tu vieres aqui eu já vou saber!" Queria me "enquadrar" em cinco minutos. Assim também, há quem pense que o fato de eu ser homem e brasileiro faz de mim automaticamente um bom motorista. Ou alguém que gosta de dirigir. Muitas vezes não adianta explicar antes: é só ao me ver na direção que as pessoas se convencem.

Hoje me lembrei disso em razão de um problema que tive com um de meus cartões de crédito. Desconfiei que estivesse bloqueado e resolvi confirmar. De fato, estava. E por uma razão incrível: eu havia tentado fazer uma compra, nas palavras da atendente, "fora do perfil". Ela explicou: "É uma medida de segurança. Se o senhor só faz compras em supermercado e de repente é feita uma tentativa de débito em uma perfumaria, presume-se que não foi o senhor que fez e o cartão é bloqueado."

Essa, não! Até a administradora do cartão de crédito já espera que os clientes sejam todos padronizados, previsíveis, imutáveis. No caso, o que ocasionou o meu bloqueio foi uma tentativa de compra num valor mais alto do que o meu usual num site de venda de ingressos. Até entendo que é temerário liberar um débito de quantia significativa numa transação via Internet. Mas, se é assim, de que adianta ter cartão? Se não fosse minha namorada me emprestar o dela, eu, ela e mais dois amigos ficaríamos sem ingressos para o show de Paul McCartney! Ou será que a administradora estranhou que eu nunca tinha ido a um show do Paul? Ele não costuma vir a Porto Alegre com muita frequência...

Agora fico ressabiado, pensando o que mais poderei comprar ou não com cartão de crédito. Imagino que livros, CDs e DVDs estejam liberados, isto é, "no perfil". Mas sabe lá quando terei problema de novo. Aí, ligarei mais uma vez:

- Por que meu cartão foi bloqueado?
- É que o senhor sempre come em lanchonetes do tipo "fast food" e apareceu uma tentativa de débito num restaurante natural.
- Resolvi experimentar, ora! Por que não?


Ou então:

- É que o senhor comprou ingressos para o Green Day e um mês depois tentou comprar de novo para o Jerry Adriani.
- Ah, sim. A senhora já ouviu falar em eclético?
- Não. Isso pega?


Definitivamente, o mundo pertence aos estereótipos. Escolha o seu e seja feliz. E não se atreva a se afastar dele ou seu cartão será bloqueado.

7 Comments:

Anonymous by/ Necão said...

Oi Emílio, demais este teu comentário...,eu sempre vivi com excesso de cenários em minha cabeça, daí toda minha tragédia. Estas estratégias de nosso mundo global esta nos levando de volta a uma vida primitiva .; A adoção deste estilo de comunidade não e´o único modo de viver, este "modus vivendi"só leva ao sucesso o predador.Nós todos somos ameaçados por este "dito estilo",aí eu pergunto como ficam as lealdades fundamentais de qualquer indivíduo.
p.s. este assunto vai longe...abr./by necão

10:44 AM  
Anonymous Juliana said...

Olá, Emílio!
Acabei de descobrir o teu blog procurando coisas sobre a polêmica da maquiagem Secos e Molhados vs. Kiss. Estou adorando! Odeio que me fechem em caixinhas padronizadas também, mas essa do cartão de crédito é o cúmulo, hein. Mas que bom que vc não vai perder o show do Paul =)
Abraços,
Juliana.

9:28 PM  
Blogger Emilio Pacheco said...

Necão, obrigado pelo comentário, volte sempre. Saudades do Hallai Hallai.

Juliana, sabe que aquele texto sobre Secos e Molhados e Kiss já serviu para que me enquadrassem num estereótipo, também. Um cara leu a versão original, que foi reproduzida no Whiplash, e comentou: "Tá na cara que esse texto foi escrito por um fã do Kiss querendo defender seus ídolos!" Depois ele leu mais alguns textos do meu blog, conheceu melhor a minha maneira de pensar e, humildemente, reconheceu que estava errado e pediu desculpas. Mas é dose!

9:46 PM  
Blogger Nassar said...

olá! fiquei fã do blog e visitarei sempre.
gostaria de sugerir uma ferramenta do blogger que chama "seguir". ativando ela em sua pagina, permite que as pessoas "te sigam" e sejam informadas em seu próprio perfil quando houver atualizações em seu blog. que tal?

até breve! =)

8:05 AM  
Blogger Emilio Pacheco said...

Obrigado, Nassar. Não sei como funciona, mas tenho vários "seguidores". Não sei como eles fizeram para se cadastrar, mas eu consigo ver quem são no site do Blogger. Abraços.

8:22 AM  
Blogger Beth said...

Meu comentário não tem muito a ver com o tema do post mas com a compra de ingressos do Paul. Há 24 horas eu estava uma pilha de nervos e o site dando erro não aceitando meu CEP para entrega em domicílio dos ingressos - eu sei que eles não entregam para todo o Brasil, mas eu moro na capital! Na verdade, não muito longe do Morumbi e tudo!! A confirmação demorou algumas looongas horas, mas agora já com o voucher impresso em mãos, estou a postos para retirar os ingressos quando forem disponibilizados. Vou ter que ir até o Morumbi, em dia de semana e horário de trabalho, por essa falha bem boba do site... mas tudo bem, dos males o menor. O que importa é que VAMOS VER O PAUL!!! \o/

11:10 PM  
Blogger zealfredo said...

:)

3:32 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home