domingo, maio 31, 2009

O Batman falante

Já comentei aqui que, quando preciso dar presentes, se não for uma ocasião que exija algo muito caro, gosto de escolher CDs ou DVDs. Mesmo sabendo que o presenteado não tem o mesmo interesse que eu por esse tipo de material. Vale como uma indicação. Sempre que a pessoa ouvir o CD ou assistir o DVD, vai lembrar de mim. Mesmo que o faça uma vez só. Não importa.

Assim também, a minha irmã gosta dar bonecos de presente. Como ela coleciona bonecas, é um produto do ramo dela, digamos assim. Ela já me deu dois bonecos do Batman. Sim, isso foi há pouco tempo. Eu já estava com mais de 40 anos. Mas não importa. Ela sabe de minha admiração pelo Homem Morcego criado por Bob Kane e não tem o menor constrangimento de dar Batmans para o irmãozinho. E nem eu de recebê-los. Tanto que um deles estava sentado em minha prateleira de livros.

Ontem minha namorada entrou no meu apartamento e deu falta do Batman sentado. Onde estava ele? Deitado em cima da mesa. Lembro que, quando minha irmã me contou que tinha comprado o boneco, disse que ele falava japonês. Depois, os filhos dela corrigiram: era inglês. Apesar do meu relativo domínio do idioma, tive dificuldade de decifrar o que ele dizia. Só recentemente, procurando na Internet, é que fui descobrir que o "Batman" era na verdade um Power Ranger adaptado. Provavelmente alguém retocou-o para ficar com jeito de Batman. O resultado é bem convincente. Só que, ao menor ruído, ele respondia: "Time for time force!" "Power up!" "Chrono saber attack!" Geralmente era quando o meu filho fazia muito barulho. E as frases saíam na ordem.

Só que, nos últimos tempos, comecei a observar que o Batman/Power Ranger começou a falar sem qualquer estímulo. Eu estava normalmente teclando ao computador e ele soltava um "Time for time force!" Lá pelas tantas vinha um "Power up!" E depois "Chrono saber attack!" Com o tempo, a pilha começou a ficar fraca. E aí as frases eram ditas lentamente. Quem é do tempo do vinil e das "eletrolas" e já tentou tocar um disco na rotação 16 rpm conhece bem o efeito macabro.

Vai daí que, uma noite dessas, sem mais nem menos, o Batman começou a falar sem parar: "Tiiiime fooor tiiiiime foorce...Poooweeer uuup... Chrooonooo saaabeer attaaaack... Tiiiime fooor tiiiiime foorce...Poooweeer uuup... Chrooonooo saaabeer attaaaack... Tiiiime fooor tiiiiime foorce...Poooweeer uuup... Chrooonooo saaabeer attaaaack..." Imaginem uma voz sinistra no meio da noite se manifestando de forma ininterrupta! Não tive dúvidas. Tirei o boneco da prateleira, coloquei-o sobre a mesa e disse: "Cala a boca!" E ele silenciou. Está lá até agora, bem quietinho.

Vade retro...

1 Comments:

Anonymous Raul Barison said...

A vida e' interessante mesmo. estava aqui buscando informacoes do video feito em homenagem ao Renner, e cai no teu blog,pelo nome achei que serias tu, mas so tive certeza quando vi a foto de tua mae, nao resisti e chamei a minha, talvez a maior fa da "madrinha irene", como ela disse.Parabens pelos textos.Nem preciso dizer que as lagrimas de dona marilu correram.um abraco.

1:36 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home