sexta-feira, março 16, 2007

Raridade sobre Quintana

Comprei este livro hoje num sebo, mas lembro quando ele foi lançado. Foi em 1976, ano em que Mario Quintana completou 70 anos. Embora o autor, o também poeta Nelson Fachinelli, fosse meu amigo e padrinho na poesia, não me interessei em comprá-lo na época. Decepcionou-me o fato de que não era uma biografia, como sugeria o título, mas uma coletânea de textos de outros escritores sobre Quintana. Casualmente, um formato semelhante seria usado para focalizar o próprio autor do livro em "Vida e Obra de Nelson Fachinelli", de Ricardo Maurício, publicado em 1985. Também não era uma biografia.

O fato é que hoje, 31 anos depois, o trabalho de Fachinelli sobre Quintana se reveste de uma importância histórica inestimável. Em 240 páginas, estão reunidas análises de, entre outros, Armindo Trevisan, Carlos Drummond de Andrade, Lya Luft, Paulo Mendes Campos, Donaldo Schüller, Guilhermino César, Paulo Hecker Filho, Antônio Carlos Ribeiro, Kenny Braga e Danilo Ucha. Há também algumas matérias publicadas na imprensa, como a cobertura do lançamento de "Pé de Pilão" por Nei Gastal e entrevistas concedidas pelo poeta a Evelyn Berg e o próprio autor Nelson Fachinelli. Interessante também é um debate sobre poesia publicado no Correio do Povo com Quintana, Carlos Nejar, César Pereira e Armindo Trevisan, mediado por Sérgio R. Dillenburg. Dois escritores tiveram a mesma idéia: simularam entrevistas com Quintana usando frases de suas obras como respostas. Por fim, há poemas homenageando Quintana (entre eles o conhecidíssimo "A Mario Quintana", de Manoel Bandeira, aquele dos "Quintanares"), cartas, versos do poeta traduzidos em outras línguas e, não poderia faltar, uma amostra de sua poesia. Não sei se algum dos poemas aqui compilados (há dois anunciados como "inéditos" em 1976) deixou de ser publicado na bibliografia própria de Quintana. Mas de qualquer forma catam-se algumas informações preciosas. Por exemplo: "O Mapa", que todos sabemos ser de "Apontamentos de História Sobrenatural", também de 1976, foi publicado originalmente no Correio do Povo de 14 de novembro de 1964 como parte da comemoração da Semana de Porto Alegre.

Só fiquei sabendo do falecimento de Nelson Fachinelli meses depois de ocorrido. A poesia gaúcha perdeu um de seus maiores incentivadores. Pouco antes de falecer, Fachinelli lançou um CD de poemas musicados cantados por outros artistas, mas também com declamações suas. Esse livro sobre Quintana pode não ser uma biografia, mas é uma grande obra de referência. Esse era o verdadeiro Mario Quintana, como o conhecíamos em 1976. Meu tempo anda cada vez mais curto, mas oportunamente devo copiar trechos selecionados de "Mário Quintana, vida e obra" na comunidade "
O verdadeiro Mario Quintana", do Orkut. Por sinal, já passou de 6 mil integrantes. No dia 20, completará um ano.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home