quarta-feira, março 15, 2006

Recomendação

Há tempos eu imaginava que alguém deveria escrever um livro sobre os textos falsos da Internet. Ter idéias é muito fácil. O mérito é de quem as coloca em prática. Pois a jornalista Cora Rónai fez um ótimo trabalho. "Caiu na Rede" está sendo lançado nesta semana pela editora Agir. No primeiro capítulo, a autora aborda a questão dos apócrifos, levantando hipóteses para explicar o fenômeno. Ela, como muitos que já opinaram sobre o assunto, acredita na possibilidade de premeditação, inclusive do próprio autor (o verdadeiro), para que seu texto seja divulgado mais amplamente sob a falsa assinatura de um escritor renomado. E conclui, resignada: "O meio-de-campo da Internet está tão embolado e os apócrifos se espalham com tal velocidade, que qualquer tentativa de descobrir ou estabelecer autorias é, praticamente, uma batalha perdida." Na página de créditos há uma observação curiosa: "A editora buscou, por todas as formas possíveis, encontrar os autores reais dos textos publicados. Alguns autores autorizaram a publicação de seus textos mas preferiram não receber os créditos porque os originais sofreram algumas alterações que não foram identificadas." Isso explica por que o livro apresenta como sendo de "Autor Desconhecido" diversos textos cuja autoria já foi desvendada (até prova em contrário) em comunidades do Orkut, entre elas "Afinal, quem é o autor?" citada no livro como já tendo "350 participantes empenhados em fazer justiça com as próprias letras". A autora credita ainda "o excepcional trabalho de Betty Vidigal no Jornal do Escritor" e o blog "Autor Desconhecido", de Vanessa Lampert.

A seguir, os textos mais disseminados são apresentados divididos por capítulos temáticos. Conforme já se deduzia do aviso da editora, Cora optou por publicar os textos tal como circulam pela Internet, com todas as suas adulterações. Em alguns casos ela assinala a parte acrescentada, em outras, deixa o texto como está. Assim, aparece a citação à "língua ferrenha do Jabor (eu)", como se o próprio fosse se referir a si mesmo dessa forma. Cada texto é identificado pelo autor verdadeiro (ou "Autor Desconhecido", conforme o caso) e aquele a quem é erradamente atribuído. Na contracapa aparecem duas colunas com nomes: em verde, os autores verdadeiros. Em laranja, os falsos.

O último capítulo, intitulado "OS AUTORES PÕEM OS PINGOS NOS II", reúne textos em que os envolvidos (falsos ou verdadeiros) se manifestaram sobre o assunto. Especialmente interessante é o comentário de Arnaldo Jabor a respeito da "Ode aos gaúchos" que é divulgada com o nome dele:

E não publicam só textos safadinhos, mas até coisas épicas, como uma esplendorosa "Ode aos Gaúchos" que eu teria escrito, o que já me valeu abraços apertados de machos bigodudos em Porto Alegre, quebrando-me os ossos: "Tchê, tua escritura estava macanuda , tri-legal!" Eu nego ter escrito aquele ditirambo meio farroupilha aos bigodudos, mas nego num tom vago, para não ser esculachado: "Tu não escreveste? Então tu não amas nossas "prendas" lindas, e negas ter escrito aquele pedaço em que tu dizes "que a gente já nasce montado num bagual"? Aquilo fez meu pai chorar, e o pedaço em que falas que "por baixo do poncho também bate um coração?" Tu tá tirando o cu da reta, tchê?"- e me aponta o dedo, de bombachas e faca de prata. "Não fui eu não, mas...viva o Olívio Dutra!..."

Tomara que esse lançamento faça sucesso e ajude a divulgar a questão dos apócrifos. Quem sabe não pode ser essa obra o gancho para a tão sonhada matéria do Fantástico? Cora Rónai tem um blog já consagrado, o
InternETC, mas para divulgar o livro ela criou outro com o mesmo título, "Caiu na Rede".

P.S.: Quem precisa ganhar um exemplar desse livro o quanto antes é a Ana Maria Braga!

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home