terça-feira, março 07, 2006

Celebridades na Internet

Uma das muitas novidades fascinantes da Internet foi permitir o contato direto entre simples mortais e pessoas famosas. E-mails, grupos de discussão, páginas de mensagens e sites de amizade como o Orkut são formas de comunicação bem menos invasivas do que, por exemplo, o telefone, que funciona em tempo real e pode causar interrupções inoportunas ou insistentes. Pela Internet as celebridades podem conversar com seus fãs de forma segura e até anônima, como algumas fazem de vez em quando. Quando a fama é grande demais, um apelido funciona melhor do que um disfarce. Mas se o grau de popularidade não é tão intenso, muitos preferem usar seus verdadeiros nomes. E com freqüência revelam-se pessoas normais, tranqüilas, com seus afazeres e compromissos como qualquer um de nós.

Agora, é claro que existem impostores na web. Um pouco de bom senso ajuda a detectá-los. Por exemplo, é pouco provável que gente de notoriedade estratosférica como Roberto Carlos, Chico Buarque e Sílvio Santos se cadastre no Orkut com seus verdadeiros nomes. Já outros casos podem causar dúvida. Um perfil em nome do cantor gaúcho Nei Lisboa pareceu suspeito por conter uma foto antiga e dados muito vagos. Além disso, o falso Nei estava postando mensagens muito irônicas, despropositadas e abaixo do nível que se esperaria do verdadeiro. Outro costume de quem se faz passar por pessoas famosas na Internet é citar clichês ou frases promocionais do artista, supondo erradamente que ele assim escreveria. Como a mensagem intitulada "Sou Tremendão" e assinada "Erasmo Carlos". Quanto a celebridades estrangeiras, no Orkut, são todas falsas. As verdadeiras nem sabem o que é Orkut. O site só pegou mesmo no Brasil.

Já fiz contato com diversos ídolos meus via Internet e foram experiências gratificantes. David Bowie costuma organizar chats moderados em seu site, a BowieNet, e já participei de vários. De vez em quando ele entrava em chats informais, também, e, embora usasse um nick, logo era identificado. O produtor Tony Visconti já respondeu a e-mails meus e de outros fãs. Recentemente Ken Scott, que não só produziu Bowie mas também foi engenheiro de som em algumas sessões dos Beatles, entrou em um grupo de discussão para expor algumas opiniões e acabou me enviando uma mensagem particular. Boy George também participou de um chat moderado da BowieNet e respondeu a algumas perguntas minhas. Fora diversos brasileiros famosos com quem já fiz contato sem nenhuma relação com meu trabalho esporádico de jornalista. Mas esses eu prefiro não citar para não avalizar ou encorajar uma enxurrada de mensagens. Por favor, não me peçam indicação ou e-mail de ninguém.

Uma última dica: não incorram na infantilidade de testar a identidade de alguém com perguntas. "Se você é mesmo Paul McCartney, diga como se chamava sua namorada antes da fama." Pensem bem: não há nada que vocês saibam sobre a intimidade de um artista que um impostor também não possa conhecer. Ele sabe e terá todo o tempo do mundo para responder com detalhes a tudo o que vocês perguntarem. Já uma pessoa realmente famosa é ocupada demais para isso. Ou deixará a correspondência a cargo de um assessor (que achará a pergunta ridícula e nem a repassará), ou só responderá se achar que vale a pena. Em geral, um ídolo nunca está preocupado em provar que é verdadeiro: ele sabe que ele é ele.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home