quinta-feira, outubro 13, 2016

A melhor fase dos Engenheiros em livro

O sucesso da banda gaúcha Engenheiros do Hawaii nos anos 80 gerou um fenômeno de polarização: Humberto Gessinger e seus asseclas foram igualmente amados e odiados por diferentes facções da crítica e do público. Em geral, a imprensa roqueira os esnobava enquanto os fãs os defendiam com uma lealdade reverencial. Ocorre que alguns dos adolescentes que os apoiavam viriam a se tornar jornalistas na vida adulta. É o caso de Alexandre Lucchese, de 34 anos. Paranaense de nascimento, Alexandre vive em Porto Alegre desde 2001. Depois de fazer uma matéria especial para Zero Hora sobre os 30 anos dos Engenheiros, o atual responsável pela editoria de literatura do jornal teve a ideia de escrever a biografia do grupo.

Embora "Infinita Highway, uma Carona com os Engenheiros do Hawaii" tenha sido preparado em pouco mais de um ano, o que é um prazo curto para uma obra de não-ficção, o resultado é excepcional. Optando por não ir além da saída do baterista Carlos Maltz, em 1996, Alexandre conseguiu contar a história com riqueza de detalhes, satisfazendo a praticamente todas as curiosidades sobre a trajetória dos Engenheiros. Por que Marcelo Pitz saiu? E Augustinho Licks? Como era o relacionamento entre os integrantes? Como foi a experiência na União Soviética? Por que a formação com Ricardo Horn, Paulo Casarin e Fernando Deluqui durou um só disco? Além dessas informações, o livro inclui fotos raras e históricas, como a do primeiro show do grupo ainda com Carlos Stein (futuro Nenhum de Nós) na guitarra.

Talvez por se identificar com a literatura de ficção, Alexandre criou alguns diálogos, mas avisa na introdução que essas falas estão em itálico para diferenciá-las dos depoimentos efetivamente colhidos. Assim, algumas passagens ganham um tom romanceado, mas "carregam o sentido do que foi dito na realidade", como ele explica. Também foi uma sacada interessante o autor colocar a si próprio na narrativa, dividindo com o leitor a experiência dos contatos com as fontes - inclusive a conversa rápida que teve por telefone com Marcelo Pitz, já que o ex-baixista não quis dar entrevista. Augustinho Licks respondeu a perguntas por e-mail e Humberto Gessinger e Carlos Maltz falaram pessoalmente com o escritor. O livro inclui ainda três relatos de fãs de diferentes locais, para dar uma ideia do nível de idolatria conquistado pelos Engenheiros. A edição é da Belas Artes e pode ser adquirida também em e-book Kindle tanto na Amazon americana quanto na brasileira.
O autor quando esteve em minha casa em 26 de agosto do ano passado para me entrevistar.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home