terça-feira, agosto 23, 2011

Lembrança de ouvinte

A propósito de minha conversa de domingo com o radialista Júlio Fürst, vou dividir com vocês uma historinha que contei a ele. Afinal, ouvinte também tem suas lembranças.

Em março de 1975 eu tinha 14 anos e, todas as noites, ouvia a Rádio Continental, a saudosa 1120 AM. Em certa ocasião, a emissora anunciou uma surpresa para "terça-feira às 10 da noite". Fiz os cálculos. Terça-feira... Seria o dia 1º de abril. Claro! Só podia ser um trote! Já estavam dizendo só o dia da semana de propósito, para despistar. Mas tudo bem, eu iria cair, só pela curiosidade. (Foi por essa referência que eu guardei que a notícia falsa sobre a "morte" de Jorge Mautner foi ao ar em março daquele ano.)

Mas passou a data e eu esqueci completamente. Depois, quando lembrei, já era tarde. Tinha deixado de cair no 1º de abril da Continental. Não me recordo se cheguei a perguntar para alguém, mas o que importa é que não fiquei sabendo o que foi ao ar naquele dia às 10 da noite. E nunca mais me esqueci desse fato. Muitas vezes pensei comigo mesmo que essa era uma curiosidade minha que seria praticamente impossível de satisfazer, por mais banal e inútil que fosse. Afinal, tinha sido um fato isolado, um ponto específico do tempo em uma história de cerca de dez anos. Não haveria como resgatá-lo.

Mas a Continental foi marcante para mim por diversos motivos. O programa mais memorável, sem dúvida, foi o de Mr. Lee, que eu passei a acompanhar com total assiduidade em 1976. Era apresentado por Júlio Fürst sob a alcunha de Mr. Lee, já que Lee Jeans o patrocinava. Ali ele divulgava músicos gaúchos na segunda meia-hora do programa, em gravações feitas ao vivo ou no estúdio B da rádio. Alguns poucos músicos tinham disco, como Almôndegas e, mais adiante, Hermes Aquino, Bixo da Seda, Pentagrama e Inconsciente Coletivo. Quando chegou às lojas o LP de Fernando Ribeiro, "Em Mar Aberto", o programa não existia mais.

Mr. Lee ia ao ar também na Rádio Iguaçu de Curitiba. O gaúcho de nascimento Luiz Juarez Pinheiro, na época com 18 anos, gravou vários desses programas na capital paranaense e os preservou para a posteridade. No final de 2002 ele me mandou quatro CD-Rs contendo essas gravações históricas. Entrei em contato com meu ex-colega de faculdade Artur Gayer, pois sabia que ele iria se interessar por esse material. Ele, por sua vez, avisou ao músico Nélson Coelho de Castro, que acabou me ligando e me convidando para participar do Roda Som, na Cultura FM. Nélson apresentava o programa juntamente com o também músico Bebeto Alves e o crítico Juarez Fonseca. Participei de duas edições, em dezembro daquele ano.

Nélson me indicou também para Sérgio Endler, que estava escrevendo uma tese sobre a Continental, e para Lúcio Haeser, que preparava um livro sobre a rádio. Sérgio esteve em minha casa uma noite e me entrevistou, para ter o depoimento de um ouvinte. Com o Lúcio o contato foi mais à distância, pois ele morava em Brasília, mas foi também mais duradouro. Tive o prazer de ajudá-lo com pesquisas e na parte prática, obtendo as autorizações para as músicas que entrariam no CD encartado. Em certo momento, Lúcio me enviou uma versão preliminar do livro, para que eu desse minha opinião e contribuísse com sugestões, caso tivesse. E, nesse ínterim, a tese de Sérgio Endler foi disponibilizada na Internet.

Não lembro ao certo qual dos dois textos eu estava lendo, acho que o do Sérgio, quando me deparei com uma informação: o programa de Mr. Lee, que tinha sido tão marcante para mim, estreou na Continental no dia... 1º de abril de 1975. Bingo! Essa era a surpresa que tinha sido anunciada! Não foi trote coisa nenhuma, eu é que tinha ficado desconfiado e viajei na história. E assim, mais de 30 anos depois, eu vim a saber o que a Continental tinha levado ao ar em 1º de abril de 1975. A chamada que eu tinha escutado nada mais era do que um "teaser" para o lançamento de Mr. Lee. Perdi a estreia do programa, mas não o auge do que ele viria a se tornar para a música do Rio Grande do Sul.


Leiam também:

Nos tempos de Mr. Lee (reprodução de texto meu acrescida de outras informações no site Durango 95)
A grande noite (lançamento do livro de Lúcio Haeser sobre a Continental)

1 Comments:

Blogger Eduardo Chittolina said...

ONTEM NO PROGRAMA DO JÚLIO DEI BOAS RISADAS.DISSE ELE"AGORA DIRETO DA 102.3 PARA 116.MORTO A MÚSICA TAL RSRSRS MUITO ESPIRITUOSO COMO SEMPRE.UM DOMINGO DESSES BATI PAPO COM ELE NO BRIQUE DA REDENÇÃO ABÇO Emilio

6:51 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home