quarta-feira, junho 28, 2006

Paul

No fim acabei não comentando nada sobre os 64 anos de Paul McCartney, completados no dia 18. Precisa explicar por que a data é tão importante e valorizada pelos fãs? Em 1967, quando o pai dele é que estava com essa idade (que casualmente foi a mesma com que o meu pai faleceu em 1984), Paul compôs "When I'm 64", lançada pelos Beatles no clássico LP "Sgt. Pepper's". Eis um trecho da letra:

Quando eu ficar mais velho,
Perdendo meu cabelo
Daqui a muitos anos
Você ainda vai me mandar cartão de Dia dos Namorados
Congratulações de aniversário
Garrafas de vinho
Se eu ficasse fora até as 15 para as 3
Você trancaria a porta?
Você ainda vai precisar de mim
Você ainda vai me alimentar
Quando eu tiver 64 anos?

O que todos comentam é a ironia de Paul estar agora em processo de divórcio. Ou seja, um momento tão aguardado acaba sendo marcado por um fato amargo. E vêm as especulações: por que não deu certo? "Ah, ela nunca me enganou." "Ela só queria o dinheiro dele." "Era uma chata." "Já vai tarde." Os quatro anos de casamento com Heather Mills renderam a Paul mais uma filha (Beatrice, agora com dois anos) e muita fofoca na imprensa. Mas se querem uma opinião sobre o que causou o fim, eu tenho.

Claro que a fama, a celebridade e até a diferença de idade atrapalharam. Mas não esqueçam que Paul McCartney viveu mais de 30 anos com a mesma esposa. Mulheres ele teve muitas. Esposa, uma só. E seu vínculo com Linda era tão forte que ele a colocou na banda para ficar de pé em frente ao teclado agitando as mãos ao ritmo da música para que pudesse estar sempre com ele, mesmo no palco. Ah, sim, ela cantava um pouco, também. E catava milho nos teclados. Mas provou ser a companheira ideal para o ex-Beatle. Tanto que ficaram juntos até que a morte os separou. Linda faleceu de câncer em 1998.

A despeito de tudo o que já viveu em sua carreira, Paul nunca tinha tido a experiência de um segundo casamento. Para ele, "esposa" era sinônimo de Linda McCartney. Imaginem como deve ter sido, depois de três décadas ao lado da alma gêmea, de repente dividir seu espaço com uma pessoa totalmente diferente. Isso acabou culminando em mais uma vivência inédita para ele: o primeiro divórcio.

Não estou preocupado com a generosa fatia que essa moça irá levar da fortuna de Paul McCartney. Como ex-esposa e mãe de sua filha, ela tem direito – ponto! Quanto a Paul não ter feito um pacto antenupcial, foi um erro, mas acho que ninguém começa um casamento já planejando o término. Os riscos são conhecidos pelos dois lados. Paul, como bom romântico, apostou no amor. Sua perda será significativa, mas não o desestabilizará financeiramente. Esperamos que seu espírito também se recupere.

(Uma curiosidade: Heather é também o nome de sua enteada, filha mais velha de Linda. Existe uma gravação que circula em bootlegs de uma música chamada "Heather", que Paul compôs no tempo dos Beatles, mas nunca foi lançada oficialmente.)

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home